Sexo com menores passa a ser considerado estupro na Índia e é uma conquista histórica!

Finalmente as crianças na Índia estão livres do casamento entre adultos e crianças.

Uma prática muito comum na Índia, até nova Lei que constituiu proibição, pessoas adultas se casavam com crianças, passando então o menino ou menina, tendo que aceitar uma imposição sem nem ter idade para entender de fato, tudo o que envolve um casamento, como acontece entre marido e mulher.

Embora o país receba muitos turistas o ano todo, principalmente a capital, Nova Deli e outras regiões nas quais buscam os antigos conhecimentos milenares, visitar templos e conhecer tradições de cunho espiritualistas.

Com tudo isso, a vida é muito difícil para os pobres, principalmente para as mulheres por conta dos perigos de estupro, incluindo o coletivo, causando revolta em cidadãos na maioria dos países. A índia abriga uma população que ultrapassa um bilhão, sendo hoje considerado segundo maior país em população do mundo.

Mulheres indianas sofrem muito com ameaças constantes de assédio e estupro cometidos por homens a qualquer hora do dia, segundo os índices, a cada 21 minutos em média, uma mulher é violentada. Por isso elas lutam tanto por direitos.

A mais recente vitória foi a Suprema Corte da Índia ao decidir tornar crime se casar com menores, ou fazer sexo, mesmo que apresentem como argumento o fato de terem se casado. Se alguém fizer sexo com criança será configurado perante a Lei como estupro.

Fundadora do grupo de campanha Independent Thought (Pensamento Independente), Vikram Srivastava, falou ao site BBC;

“Este julgamento é um marco que corrige um erro histórico contra as meninas. Como o casamento pode ser usado como critério que pune garotas?”

Uma participante da associação para os direitos das mulheres Equidade Agora, explicou para o Global Citizen;

“A sanção é um passo para proteger meninas de abuso e exploração de seus corpos tendo como cortina de fumaça seu status matrimonial. Talvez esta decisão corajosa inspire o governo indiano a tomar medidas protetivas como combater os abusos em todos os casamentos.”

Foto: Reprodução

Qual sua opinião? Escreva abaixo👇

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *