in ,

Mulher leva idoso morto para realizar prova de vida em agência bancária

Mulher levou idoso até uma agência do Banco do Brasil em Campinas, localizada na Rua Doutor Costa Aguiar, São Paulo, para fazer a prova de vida, como todos os idosos aposentados devem proceder para continuar recebendo o benefício da aposentadoria. Acontece que o homem de 92 anos chegou à agência do banco morto. 

A mulher que levou o idoso para fazer a prova de vida está sendo investigada como a principal suspeita da causa da morte do aposentado. e pode responder por crime de exposição de cadáver e estelionato previdenciário. 

Ela chegou no banco levando o homem na cadeira de rodas, como informou o delegado-titular, Cícero Simão da Costa, do 1º D.P. de Campinas, que disse:

“Em determinado momento ela começou a gritar, falando que ele estava passando mal.” 

Imediatamente uma ambulância foi acionada para fazer o atendimento, mas os socorristas constataram que o idosos não tinha pulso e que já havia morrido.”Mas o [paramédico]que atendeu suspeitou que esse senhor havia falecido há algumas horas”, disse o delegado.

“Mas o [paramédico]que atendeu suspeitou que esse senhor havia falecido há algumas horas”, mas o levou para o hospital.

“Ficamos no aguardo do laudo necroscópico para saber se ele morreu no momento [dentro da agência] ou se foi levado morto. O laudo [informou] que ele tinha falecido 12 horas antes de entrar na agência”, disse o delegado.

Segundo a polícia, a mulher vivia há cerca de 10 anos com o idoso, ele era aposentado como ex-escrivão da polícia.

A polícia disse que “Ela afirmou que não sabia que o homem estava morto e que o último contato com ele foi na noite anterior”. 

“Estamos vendo se esse casal tem participação ou pensou que estava apenas ajudando”, concluiu.

Créditos: https://vejasp.abril.com.br/cidades/mulher-leva-idoso-morto-cadaver-agencia-banco-brasil-campinas/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mãe dá à luz terceiro filho enquanto dormia

Ana Maria Braga lembra passado como professora e chora com homenagem