in ,

Vídeo: cães aguardam pelo dono na porta de hospital

- Anúncio -

O catador de materiais descartáveis falou sobre sua convivência com os seus cães.

Cézar Gonçalves, que vive em situação de rua, e trabalha com materiais descartáveis, ficou conhecido na internet, depois que precisou de atendimento médico, na madrugada de segunda-feira (10).

Cézar sentia fortes dores abdominais e procurou o pronto-socorro do Hospital Regional do Alto Vale, em Rio do Sul, Santa Catarina.

- Anúncio -

Mas o que chamou atenção, é que seus quatro cães, foram junto e aguardaram pacientemente em frente a porta do hospital enquanto o homem era atendido, o que levou cerca de uma hora.

Todos se comoveram com, Bebê, Nick, Menina e Tico, ansiosos aguardando o dono.

Lúcrecia Vendrami, enfermeira que trabalhava naquela noite registrou a imagem que foi compartilhada milhares de vezes nas redes sociais.

“Eu nunca tinha visto, com tantos animais juntos. Eram quatro cachorros e a gente vê normalmente cachorrinhos por aqui, mas nada que a gente consiga ver que é de alguém, ou que veio com alguém daquela maneira”, disse.

O homem contou que o primeiro cão ele adotou há 5 anos e que os outros foram se juntando à ‘família’, e que eles são inseparáveis.

“Eu saio lá para as 4h, que é um pouco mais fresco, eu saio para catar reciclagem e eles vão junto. Aonde eu vou eles vão junto comigo”, disse Cézar.

Ele alimenta os animais dividindo o que ganha durante o dia, e também de doações de pessoas que ofertam ração para ajudar a turma.

- Anúncio -

Cézar se disse surpreso com a repercussão do caso, pois para ele é normal ver os animais sempre junto dele.

- Anúncio -

“Sem os bichinhos, eu não sou nada”, declarou.


Qual sua opinião? Escreva abaixo👇
- Anúncio -

Written by Ana Paula

Jornalista de profissão, e redatora por vocação. Escrevo com prazer tentando passar em palavras, emoções que possam tocar a vida das pessoas. Nas horas vagas mamãe de gatos e degustadora de cafés, que são meus grandes amores.

Filha de João de Deus diz que sofreu abuso do médium aos nove anos

Motorista gritou para retirar crianças antes de morrer, diz jovem sobre escolar atingido por árvore