Precisamos de menos Whatsapp e mais abraços

- Anúncio -

É mais fácil ganhar um oi no WhatsApp do que um abraço de verdade

A tecnologia já dominou a nossa vida de forma que já não conseguimos imaginar uma vida sem ela. Mais vale uma caixa de mensagens cheia de “contatinhos” do que uma mesa cheia de amigos. Com a evolução tecnológica nós todas mudamos vários hábitos, e praticamente todo mundo está conectado atualmente. Por trás daquela foto com sorriso ou de uma paisagem maravilhosa, uma coisa nunca mudará: existe uma pessoa por trás de um celular.

Nos dias atuais nós somos mais máquinas do que gente. Em vários casos, a interação social se resume a internet. Tem milhares de amigos nas redes sociais mas não sabe o nome de seis vizinhos. Essa é a nova vida digital. Embora um avanço tenha acontecido em relação a comunicação, todos nós saímos perdendo com isso.

- Anúncio -
- Anúncio -

Dos contatos que você tem no WhatsApp, quantos deles você já conseguiu abraçar neste ano? Até parece que a internet e o smartphone é quem nos afasta das pessoas. Mas, não é bem assim. Nós somos as verdadeiras culpadas pela falta de um abraço.

Na correria do dia, às vezes essa atitude passa despercebida. Porém, nunca deixe o abraço para depois, em algum momento sua mensagem também poderá deixar de ser lida no WhatsApp. Sem alguém do outro lado para conversar, a vontade de dar um abraço só vai aumentar, mas em vão, pois será tarde demais. Pense nisso.


Qual sua opinião? Escreva abaixo👇
- Anúncio -

Written by Ana Paula

Jornalista de profissão, e redatora por vocação. Escrevo com prazer tentando passar em palavras, emoções que possam tocar a vida das pessoas. Nas horas vagas mamãe de gatos e degustadora de cafés, que são meus grandes amores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desidratação em bebês: Mulher faz apelo a todas as mães sobre os riscos fatais de uma amamentação incompleta

Ao invés de demitir funcionários que não sabiam ler, empresa investiu em sua alfabetização