Mãe tira a vida de seu bebê após maternidade não ser o que esperava

É tanta crueldade que às vezes fica até difícil acreditar, mas infelizmente essa maldade aconteceu.

Uma mulher de 18 anos matou do próprio bebê, uma criança com 4 meses de vida, o motivo foi apenas por entender que a maternidade não  havia correspondido conforme as expectativas dela.

A mulher tirou a vida da filha sacudindo com toda a força, a bebê com o nome de Anastasia não resistiu aos solavancos por não ter gostado do atendimento na maternidade, sendo que, a agressão aconteceu meses depois de ter recebido alta.

O pai da bebê nada pôde fazer, quando ele chegou em casa, a filha estava desacordada e molinha, ele ligou para o socorro pedindo uma ambulância. A menina foi atendida e levada para a urgência do hospital, onde permaneceu internada durante dois dias, mas infelizmente foi a óbito.

Esse caso que causou muita revolta aconteceu no mês de maio de 2017, em Capel na Austrália, porém voltou a ser notícia em razão da audiência de julgamento. A mulher a princípio negou todas as acusações, inclusive alegou que o pai da menina encontrou a filha limpa e de banho tomado, segundo o pai, de fato a criança estava cuidada, mas isso não diminuiu a maldade de tê-la sacudido provocando a morte da bebê.

O advogado de defesa de Cassandra, ré no julgamento, ele disse que a infância de sua cliente foi muito difícil, o pais era agressivo e sádico, por isso ela não conviveu em um ambiente que oferecesse amor, o que pode ter causado prejuízos psicológicos.

Mesmo com todos os argumentos do advogado, a mulher foi julgada e condenada, não foi como a promotoria esperava, prisão perpétua, mas ficará por muito tempo atrás das grades.


Qual sua opinião? Escreva abaixo👇

Written by Silvia M2ads

Professora Silvia, dou aulas no periodo vespertino e escrevo noticias nos sites da rede Maetips. Mãe de dois meninos, Lucas e Renato de 6 e 12 anos. Sejam muito bem vindos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *