in

Ex-aluno mata professora por ter levado bronca na escola

Professora não resistiu aos ferimentos e faleceu, após ter sido golpeada por ex-aluno, na última quarta-feira (24/8) em Goiânia, na região metropolitana.

 

Cleide Aparecida dos Santos, de 60 anos, foi atacada por um ex-aluno em Inhumas. De acordo com informações da polícia, o suspeito, um homem de 24 anos, quis se vingar da professora, pelo fato da educadora ter dado bronca no aluno, dentro da escola.

 

O ex-aluno estava encapuzado quando entrou na casa da professora pela janela. Logo que percebeu a presença do invasor, a vítima chamou o filho, que também foi ferido no braço o  durante o ataque.

 

Após esfaquear a professora, o homem fugiu pulando o muro da casa.

 

O Corpo de Bombeiros foi acionado para socorrer a vítima, eles chegaram a prestar atendimento e a levaram para o hospital, mas infelizmente ela não resistiu e foi á óbito na unidade hospitalar.

 

Em entrevista ao G1, O major da Polícia Militar Israel Rodrigues esclareceu as informações que obteve do assassino, cujo nome não foi revelado:

 

“O rapaz disse que guardava uma raiva muito grande por parte da professora, pois era sempre chamado a atenção porque bagunçava em aula e vendia drogas nas imediações do colégio, além de ser levado para a coordenação do colégio”.

 

O ex-aluno que tirou a vida da professora, foi aluno dela em 2021, mas neste ano, Cleide Aparecida já não estava trabalhando na escola desde janeiro.

 

A Secretaria de Estado da Educação de Goiás (Seduc), informou por meio de nota, que a professora dedicou 37 anos de sua vida  a´educação, tendo ingressado no ensino, no ano de 1985 e que, atualmente,a professora Cleide Aparecida dos Santos, estava atuando na na formação dos alunos da Educação Especial, no Centro de Ensino em Período Integral (CEPI) Horácio Antônio de Paula.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cientistas comprovam que a oração tem poder suficiente para curar doenças

UOL faz enquete sobre “saudade” de Lula, mas Bolsonaro lidera