Ex-merendeira realiza o sonho de se formar em pedagogia aos 81 anos

Muitas pessoas abandonam a escola antes mesmo de completar o ensino médio, outras nem chegam a terminar o fundamental. Com isso, o sonho de ter um curso de nível superior se torna cada vez mais distante e muitos desistem de um dia voltar a estudar.

Para dona Thereza Mualla Alduino, a idade não foi um problema para se formar no curso de pedagogia.

Advertisements

Aos 81 anos, ela é um ótimo exemplo para quem pensa que após os 60 anos, de nada adianta investir nos estudos. Quem pensar assim está equivocado, para o conhecimento não há barreiras da idade e dona Thereza, uma idosa aposentada é a prova disse.

A ex-merendeira é uma inspiração, ela enfrentou o desafio de realizar seu sonho e conseguiu a graduação como pedagoga. Mora no interior de São Paulo.

O sonho de Thereza  era o de entrar para a faculdade, ela pensava em fazer o curso de pedagogia, mas sem condições para a  estudar, a ex-merendeira então prometeu para si mesma, que iria esperar se aposentar para então fazer o curso que queria.

Conformada com a decisão de adiar o sonho, dona Thereza ficava observando os alunos da escola em que trabalhava como merendeira.

Sentindo muita vontade de aprender, ela finalmente conseguiu se aposentar aos 70 anos e iniciar seu sonho. “Eu me aposentei e pensei que não podia ficar parada. Então, fiz três anos de supletivo e concluí o ensino médio”, contou a ex-merendeira.

No ano de 2015, Thereza fez o vestibular para ingressar no ensino superior e ficou em 15º lugar. Para chegar a esse ponto, ela terminou o ensino médio fazendo supletivo, em seguida tentou um curso técnico de química, mas não chegou a concluir, não se adaptou. Então mudou para o curso técnico de administração de empresas.

Aline Alduino, neta de dona Thereza, sente muito orgulho da avó; “Ela é uma pessoa que gosta muito de ficar entre os jovens. Gosta de estar por dentro e nunca parou no tempo. Tanto é que ela usa bastante o celular para procurar as coisas, como receitas e assuntos interessantes. Por mais que nunca faça a receita, gosta de estar por dentro”.

“Ela anotava tudinho. O caderno sempre muito completo. Não ia pra faculdade só para marcar presença. Além disso, quando gente chama ela para viajar e ela não vai. Chamar para ir em algum restaurante é muito difícil dela ir. Na faculdade nunca faltou um dia ”, contou a neta.

Reprodução

Fonte: Psicologias do Brasil

Written by Silvia Cardoso Souza

Professora Silvia, dou aulas no periodo vespertino e escrevo noticias nos sites da rede Maetips. Mãe de dois meninos, Lucas e Renato de 6 e 12 anos. Sejam muito bem vindos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *