Morre aluno agredido dentro da escola ‘por causa de um drible’; vídeo

O caso chocou a comunidade escolar de Belo Horizonte (MG)

O estudante Luiz Felipe de 17 anos, morreu na última terça-feira (20), seis dias depois de ter sido agredido dentro do Instituto de Educação de Minas Gerais, onde estudava.

A agressão teria partido de um outro aluno, Hudson Rangel Gomes Rosa, de 18 anos, e começou durante uma partida de futebol que eles disputavam.

De acordo com a escola, o aluno agressor, tem histórico violento, e mais de 30 ocorrências registradas no livro escolar.

No último dia 14, os alunos jogavam futebol durante o intervalo da aula, e começou um desentendimento por um ‘drible’, que Luiz Felipe deu em Hudson, que começou uma série de agressões, com chutes, e socos.

Luiz Felipe tentou fugir e correu, mas foi perseguido pelo outro rapaz, que deu um chute em sua cabeça na escada da escola, Luiz bateu com a cabeça na mureta e caiu.

A imagem da queda de Luiz Felipe ficou registrada no circuito de câmeras da escola.

No vídeo é possível ver quando Luiz Felipe é empurrado, depois todos percebem que ele não está bem, e outros estudantes o socorrem, o agressor que está de camiseta branca no vídeo, chega a andar do seu lado, mas logo fica para trás e volta, enquanto os outros saem as pressas com Luiz Felipe nos braços.

A tia de Luiz Felipe falou sobre o motivo da violência:

“Foi por causa de um drible, uma embaixadinha que ele fez que começaram os empurrões e acabou com o desfecho dessa tragédia”, afirmou a tia.

Ele foi encaminhado ao Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte, onde ficou por 6 dias até falecer em decorrência de um grave traumatismo craniano.

Hudson, foi preso ainda na escola, e teve sua prisão convertida em preventiva, e permanecerá preso.

 

O agressor chega a andar ao lado enquanto socorrem Luiz Felipe

Mas depois vai ficando para trás.

E se afasta.

Valdênia Evangelista, tia de Luiz Felipe, diz que perdoa o agressor.

“Ele está perdoado, na hora que entrei na escola, já falei com o próprio policial: ‘não precisa disso’. Para mim, foi um acidente, uma fraqueza”, afirmou Valdênia.

Ela cuidava do sobrinho desde que ele tinha 3 anos quando sua mãe faleceu.

Já o tio de Luiz Felipe, diz que perdoa, porém quer que a justiça seja feita.

“Não tenho sentimento nenhum com o rapaz que agrediu ele, tenho sentimento com o pai e com a mãe dele que devem estar sofrendo também… pelas falhas na educação que deveriam ter dado pra ele. Pela omissão da Secretaria [de Educação] quando a diretora fez os boletins de mau comportamento e ela, de pés e mãos atadas, não pôde fazer nada. Agora é se apegar com Deus para que a justiça seja feita, porque isso não foi um caso de agressão, isso foi um homicídio na escola”, afirmou Walter.

 

Veja o vídeo da matéria da Rede TV

O que diz a Secretaria de Educação

A Secretaria de Estado de Educação divulgou nota no fim da manhã afirmando que “recebeu com profundo pesar a notícia do falecimento do estudante do Instituto de Educação”. Segundo a secretaria, durante todo o período de internação, representantes da pasta e da direção da escola acompanharam a família e deram apoio necessário. A SEE disse que se colocou à disposição da família para conduzi-la a Minas Novas, onde será o velório, e a Turmalina, onde será o enterro.

 


ATENÇÃO MÃE, QUAL SUA OPINIÃO?

escreva seu comentário abaixo👇