in ,

Morre aluno agredido dentro da escola ‘por causa de um drible’; vídeo

- Anúncio -

O caso chocou a comunidade escolar de Belo Horizonte (MG)

O estudante Luiz Felipe de 17 anos, morreu na última terça-feira (20), seis dias depois de ter sido agredido dentro do Instituto de Educação de Minas Gerais, onde estudava.

A agressão teria partido de um outro aluno, Hudson Rangel Gomes Rosa, de 18 anos, e começou durante uma partida de futebol que eles disputavam.

- Anúncio -

De acordo com a escola, o aluno agressor, tem histórico violento, e mais de 30 ocorrências registradas no livro escolar.

No último dia 14, os alunos jogavam futebol durante o intervalo da aula, e começou um desentendimento por um ‘drible’, que Luiz Felipe deu em Hudson, que começou uma série de agressões, com chutes, e socos.

Luiz Felipe tentou fugir e correu, mas foi perseguido pelo outro rapaz, que deu um chute em sua cabeça na escada da escola, Luiz bateu com a cabeça na mureta e caiu.

A imagem da queda de Luiz Felipe ficou registrada no circuito de câmeras da escola.

No vídeo é possível ver quando Luiz Felipe é empurrado, depois todos percebem que ele não está bem, e outros estudantes o socorrem, o agressor que está de camiseta branca no vídeo, chega a andar do seu lado, mas logo fica para trás e volta, enquanto os outros saem as pressas com Luiz Felipe nos braços.

A tia de Luiz Felipe falou sobre o motivo da violência:

“Foi por causa de um drible, uma embaixadinha que ele fez que começaram os empurrões e acabou com o desfecho dessa tragédia”, afirmou a tia.

- Anúncio -

Ele foi encaminhado ao Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte, onde ficou por 6 dias até falecer em decorrência de um grave traumatismo craniano.

Hudson, foi preso ainda na escola, e teve sua prisão convertida em preventiva, e permanecerá preso.

 

O agressor chega a andar ao lado enquanto socorrem Luiz Felipe

Mas depois vai ficando para trás.

- Anúncio -

E se afasta.

Valdênia Evangelista, tia de Luiz Felipe, diz que perdoa o agressor.

“Ele está perdoado, na hora que entrei na escola, já falei com o próprio policial: ‘não precisa disso’. Para mim, foi um acidente, uma fraqueza”, afirmou Valdênia.

Ela cuidava do sobrinho desde que ele tinha 3 anos quando sua mãe faleceu.

Já o tio de Luiz Felipe, diz que perdoa, porém quer que a justiça seja feita.

“Não tenho sentimento nenhum com o rapaz que agrediu ele, tenho sentimento com o pai e com a mãe dele que devem estar sofrendo também… pelas falhas na educação que deveriam ter dado pra ele. Pela omissão da Secretaria [de Educação] quando a diretora fez os boletins de mau comportamento e ela, de pés e mãos atadas, não pôde fazer nada. Agora é se apegar com Deus para que a justiça seja feita, porque isso não foi um caso de agressão, isso foi um homicídio na escola”, afirmou Walter.

 

Veja o vídeo da matéria da Rede TV

O que diz a Secretaria de Educação

A Secretaria de Estado de Educação divulgou nota no fim da manhã afirmando que “recebeu com profundo pesar a notícia do falecimento do estudante do Instituto de Educação”. Segundo a secretaria, durante todo o período de internação, representantes da pasta e da direção da escola acompanharam a família e deram apoio necessário. A SEE disse que se colocou à disposição da família para conduzi-la a Minas Novas, onde será o velório, e a Turmalina, onde será o enterro.

 


Qual sua opinião? Escreva abaixo👇
- Anúncio -

Written by Ana Paula

Jornalista de profissão, e redatora por vocação. Escrevo com prazer tentando passar em palavras, emoções que possam tocar a vida das pessoas. Nas horas vagas mamãe de gatos e degustadora de cafés, que são meus grandes amores.

“A minha geração não aceita gente que para de trabalhar para cuidar de filho”

Será pedido penas máximas aos brutais assassinos de Daniel