Crianças com pais muito críticos têm mais chance de sofrer de ansiedade e depressão

- Anúncio -

Excesso de críticas e cobranças exageradas podem fazer com que seus filhos se tornem pessoas depressivas e ansiosas.

Pesquisadores da Binghamton University, em Nova York, realizaram um estudo para entender qual a influência que as cobranças e críticas feitas pelos pais, exercem sobre a formação da personalidade dos filhos.

O projeto utilizou como método, a observação da reação das crianças, diante das expressões faciais dos pais. Isso foi feito através de um marcador neural chamado de Potencial Positivo Tardio (LPP), pelos cientistas. Ele consegue “medir” o quanto alguém está concentrado no outro através da expressão feliz ou triste do rosto.

- Anúncio -

Na primeira fase do teste, foram entrevistados alguns pais de crianças de 7 á  11 anos, falando a respeito dos filhos de forma franca.

Depois todos os depoimentos foram classificados pelo nível de críticas que cada pai fez a respeito de seus filhos.

Na próxima fase do teste, as crianças foram monitoradas enquanto observavam fotos dos pais com diferentes expressões faciais.

Depois de colhidos esses dados, os pesquisadores cruzaram os resultados e perceberam que os filhos de pais classificados como mais críticos e exigentes, prestavam menos atenção as imagens de todas as expressões dos pais.

“Esse comportamento pode afetar as relações com os outros e ser uma das razões pelas quais os pequenos expostos a altos níveis de crítica correm mais risco de desenvolveram uma depressão ou ansiedade” disse Kiera James, principal autora do estudo.

A pesquisadora acredita que o comportamento comum em todos os filhos de pais exigentes, seja uma forma que a criança encontra de evitar as emoções negativas associadas as críticas e reprovações constantes dos pais.

“Sabemos de pesquisas anteriores que as pessoas tendem a evitar o que as deixa desconfortáveis, ansiosas ou tristes”, explicou.

- Anúncio -

Como saber se as críticas e exigências estão exageradas?

Ana Cristina Barros Fróes, psicóloga e vice-presidente da Associação Brasileira de Terapia Familiar, é necessário que os pais observem constantemente o comportamento e as reações dos filhos com a máxima atenção possível.

- Anúncio -

“Preste atenção aos que elas falam, na qualidade do sono nas mudanças no relacionamentos sociais. As crianças que são exigidas demais costumam ter medo de errar – e errar é fundamenta para o aprendizado”,  explicou ela.

“Troque o ‘você é’ pelo ‘hoje você está’.”, sugere a especialista.

“É importante que os pais tomem cuidado com rótulos e afirmações e se coloque no lugar do seu filho”, disse ela.

Ter uma relação de proximidade com a escola também é essencial.

“Você pode ter pouco tempo com o seu filho, mas a qualidade desse tempo é o que mais importa, Preste atenção nele”, finaliza.

Segundo o psicólogo Helio Roberto Deliberador, da PUC-SP, um lar cheio de restrições inibe a criança a ter um melhor desenvolvimento., e as criticas exageradas desestimulam o aprendizado e tem um efeito contrário, fazendo com que a criança desista de aprender devido ao sofrimento imposto.

“O ambiente ideal é o de diálogo permanente. Use frases situacionais e, não definitivas”, diz.

 

EM VEZ DE DIZER                                        DIGA
“Você sempre faz isso” “Da próxima vez, pense melhor antes de…”
“Você não tem solução” “A decisão que você tomou não é correta porque…”
“Eu não aguento mais” “Vamos pensar em como evitar que isso aconteça de novo”

 

 


Qual sua opinião? Escreva abaixo👇
- Anúncio -

Written by Ana Paula

Jornalista de profissão, e redatora por vocação. Escrevo com prazer tentando passar em palavras, emoções que possam tocar a vida das pessoas. Nas horas vagas mamãe de gatos e degustadora de cafés, que são meus grandes amores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recém-nascida é infectada por bactéria após receber visita; saiba como proteger seu bebê

Bebê diagnosticado com câncer é abandonado pela mãe e chora chamando por ela