‘Tudo indica que João de Deus chefia uma organização criminosa’, afirma juiz em Goiás

O magistrado Liciomar Fernandes da Silva avaliou em sua decisão pela prisão de João de Deus por posso de arma de fogo, que o médium pode ser um líder criminoso.

Liciomar Fernandes da Silva, magistrado que determinou a prisão de João de Deus por posse ilegal de arma de fogo, avaliou que as investigações apontam que o médium “chefia uma organização criminosa que atua principalmente na cidade de Abadiânia”, no Entorno do Distrito Federal.

O médium está sendo acusado de centenas de crimes de natureza sexual, que teria cometido contra centenas de mulheres de várias idades e inclusive nacionalidades diferentes.

Preso desde o último dia 16, quando se entregou a polícia, ele nega todas as acusações.

Alberto Toron afirmou, advogado responsável pela defesa do médium, em nota afirma que o “juiz fez uma afirmação grave e sem qualquer base empírica. Essa é a verdade”.

  • Entenda os rumos da investigação

O juiz, ainda na determinação de prisão,expediu mandatos de busca e apreensão em cinco endereços relacionados ao médium. 

Quatro dos mandados foram cumpridos em Abadiânia, onde fica a Casa Dom Inácio de Loyola – local dos atendimentos espirituais e onde teriam ocorrido os abusos –, e um deles em Itapaci, na região norte de Goiás.

Nas últimas buscas, a Polícia Civil encontrou esmeraldas, um arma, medicamentos e uma mala com R$ 1,2 milhão na casa do médium. O dinheiro foi localizado em um porão, acessado por um fundo falso em um armário.

Em buscas anteriores, já havia sido encontrado mais R$ 400 mil em moedas nacional e estrangeiras, e armas de fogo, o que motivou o pedido de prisão, concedido pelo magistrado.


Qual sua opinião? Escreva abaixo👇