Pai suspeito de abandonar filhos de 1 e 3 anos em mata é autuado por abandono de incapaz

O pai teria deixado as crianças em matagal depois de briga com esposa e cunhado e só resgatou 8 horas depois.

Sidnei Nogueira de Pádua, de 24 anos, foi preso na última segunda-feira (19), depois de desaparecer com os próprios filhos de 1 e 3 anos, ele só revelou onde deixou as crianças o começo da manhã de terça-feira (20).

A polícia foi então até o local indicado por Sidnei, uma região de matagal, zona rural de Nova Lacerda, a 667 km de Cuiabá.

Segundo as informações dos policiais que foram em diligência atrás dos menores, o menino dormia no chão no meio do mato quando foi encontrado, enquanto a irmã estava sentada do seu lado.

De acordo com a Polícia Civil, Sidnei será apresentado em audiência de custódia nesta quarta-feira (21).

Tudo começou, quando na noite da segunda-feira ele e a esposa tiveram uma briga, a mulher que está grávida, teria sido agredida com pedras, o homem então pegou os filhos e levou para local desconhecido da família.

Adilson Figueiredo, investigador de polícia que participou do resgate, contou que o local onde as crianças foram deixadas pelo pai, é habitado por uma enorme diversidade de animais, inclusive peçonhenta, como cobras e escorpiões, o que expôs os pequenos a muitos riscos.

O pai, Sidnei foi autuado por lesão corporal, no contexto de crime de violência doméstica praticado contra a esposa, e abandono de incapaz em relação às crianças.

Sidnei Nogueira de Pádua foi preso e ficou em silêncio durante depoimento à polícia — Foto: Polícia Civil de Mato Grosso/Assessoria

Policial segura uma das crianças que foi resgatada em Nova Lacerda — Foto: Gerência de Operações Especiais (GOE)

As crianças foram encontradas pela Gerência de Operações Especiais (GOE) após passarem toda a noite sozinhas na mata.

 

Crianças foram socorridas por policiais após ficarem sozinhas em mata por 8 horas em Nova Lacerda — Foto: Gerência de Operações Especiais (GOE)


Qual sua opinião? Escreva abaixo👇

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *