in ,

Mulher cuida de 128 animais após ficar curada de câncer: “Salvaram a minha vida”

Foto: reprodução
- Anúncio -

A história de superação de uma mulher, Ângela de Jesus Bandeira, de 56 anos, na luta contra um câncer, teve uma motivação especial, a ajuda de uma cachorrinha, chamada Anie Alice.

Ângela mora no litoral de São Paulo, em Santos. Ela foi diagnosticada com câncer no pulmão e no útero, para enfrentar a batalha que teria de travar com muita determinação e, sobretudo, com muita vontade de viver, a paciente contou com uma ajuda que, para ela, foi fundamental, passou a se dedicar a cuidar dos animais.

Durante uma longa década, Ângela esteve muito deprimida e buscou forças para lutar contra a doença, mas surpreendentemente uma cachorra, Anie Alice chegou em sua vida e mudou tudo.

- Anúncio -

Em entrevista ao G1, Ângela disse: “Me sentia feia e deprimida. Quando ela chegou em casa, foi a minha razão para continuar aqui”.

Após passar cerca de 10 anos em tratamento para vencer o câncer, finalmente em 2008 recebeu a notícia mais esperada, a de que estava curada, como ela mesma contou: “Foi um ciclo de tratamento muito grande. Eu perdi meus cabelos, unhas e dentes. Não conseguia me olhar no espelho, então na época tirei todos eles das paredes de casa”.

Ângela passou por períodos que mal conseguia se levantar da cama, passou dias deitada, até que um dia, o marido chegou com a notícia de que havia adotado uma cachorrinha.

No estado de saúde em que se encontrava, a mulher ficou contrariada, pois não poderia cuidar de um bichinho de estimação, mas para sua surpresa, a cachorra passou a ser uma importante companhia, como ela disse:

- Anúncio -

“No início fiquei muito brava, pois falei que não tinha como cuidar dela. Aos poucos ela foi se aproximando e eu voltei a fazer algumas coisas”.

Todos os dias, Ângela passeava com a cachorra à noite na cobertura do prédio, pouco tempo depois, elas passaram a passear na calçada e os passeios se estenderam para andar um pouco pela cidade. 

Essas simples atividades, despertou na paciente a vontade de fazer o que estava tanto tempo afastada, coisas do dia a dia.

- Anúncio -

“Depois que voltei a ser ativa, o meu quadro se reverteu e o meu tratamento começou a fazer efeito. O nosso emocional conta muito nessas horas. Na época, eu passei a me cuidar, pois achei que ela precisava de mim. Na verdade, eu que precisava dela e não sabia”.

O carinho e o amor que despertou por sua companheira pet, Anie Alice, foi o início de uma causa que resultou na ONG Patinhas que Brilham, atualmente com 1280 animais, sendo que 50 estão na casa de Ângela, onde ela transformou na ONG.

“Eu tinha desistido da vida e Deus me deu uma nova chance. Sou protetora desde 2015 e precisava usar isso para fazer o possível por esses seres que salvaram a minha vida”, disse Ângela com gratidão.

“Nós auxiliamos animais dentro e fora da ONG aqui na Baixada Santista. É um trabalho cansativo, mas você se sente recompensada. Eles são puros, só tem amor para dar”, finalizou.

 

Créditos: https://paisefilhos.uol.com.br/familia/mulher-cuida-de-128-animais-apos-ficar-curada-de-cancer-salvaram-a-minha-vida/


Qual sua opinião? Escreva abaixo👇
- Anúncio -

Written by SIlvia Jornalista

Professora Silvia, dou aulas no periodo vespertino e escrevo noticias nos sites da rede Maetips. Mãe de dois meninos, Lucas e Renato de 6 e 12 anos. Sejam muito bem vindos.

Mulher descobre que ‘irmã mais velha’ era na verdade mãe biológica e vídeo viraliza

BBB21: Internautas pedem expulsão de Arthur e apontam beijo forçado em Carla Diaz. “Relacionamento abusivo”