Menino com Covid não transmitiu vírus a mais de 170 pessoas

- Anúncio -

Uma das informações que foi compartilhada pela Organização Mundial de Saúde, logo após classificar o novo coronavírus como pandemia, foi orientar sobre os grupos mais vulneráveis para contrair o vírus. Os idosos, pessoas com idade a partir de 60 anos, foi a primeira preocupação dos médicos especialistas.

Quanto às crianças, nos primeiros estudos, não haviam confirmações de crianças contaminadas com o Covid-19, por esse motivo a informação tranquilizava os pais.

Agora o que se sabe, é que as crianças podem não apresentar sintomas do novo coronavírus, nem ter complicações causadas pela doença, mas podem transmitir, pois segundo cientistas e médicos infectologistas, as crianças podem ter o novo coronavírus sem que os responsáveis saibam por falta de sintomas, mas podem transmitir, pois são vetores.

- Anúncio -

Até o mais recente estudo, essas eram as informações, que o Covid-19 não era muito comum se desenvolver em crianças, muitos testes já confirmaram que é preciso ter cuidado com a saúde dos pequenos, infelizmente alguns foram a óbito.

Outra nova informação dos atuais estudos, é que de um modo geral, como o caso de um menino de 9 anos que foi contaminado pelo novo coronavírus, é uma surpresa. A criança teve contato com pelo menos 170 pessoas, nenhuma delas contraiu o Covid-19, mesmo ele estando doente. Esse caso, aponta para uma nova pesquisa, de que não se pode considerar as crianças como “super espalhadores” do Covid-19.

- Anúncio -

Estudo da Public Health France fez o levantamento de quantas pessoas tiveram contato com o menino de nove anos, que se chama Steve Walsh, “O fato de uma criança infectada não transmitir a doença, apesar das interações estreitas em três escolas, sugere potenciais dinâmicas diferentes de transmissão em crianças”, confirmou os pesquisadores que realizaram  pesquisa, comandada por Kostas Danis.

Foi publicado no The Lancet,  a pesquisa coordenada por Haiyan Qiu sobre o novo coronavírus; “Embora febre, tosse seca e pneumonia leve sejam manifestações comuns, quase metade dos pacientes não apresenta sintomas óbvios nem achados radiológicos anormais”.

“Embora todos os pacientes pediátricos em nossa coorte apresentassem Covid tipo leve ou moderado, a grande proporção de crianças assintomáticas indica a dificuldade em identificar pacientes pediátricos que não possuem informações epidemiológicas claras, levando a uma situação perigosa na comunidade”, completou.

Créditos: https://revistacrescer.globo.com/Criancas/Saude/noticia/2020/04/covid-segundo-estudo-algumas-criancas-podem-nao-espalhar-o-virus.html?fbclid=IwAR0UIYhlVt1wY2jpRONBLnhE25SUOJp6nL23k-6chyuXYj3v6NSyaP5vUG8


Qual sua opinião? Escreva abaixo👇
- Anúncio -

Written by SIlvia Jornalista

Professora Silvia, dou aulas no periodo vespertino e escrevo noticias nos sites da rede Maetips. Mãe de dois meninos, Lucas e Renato de 6 e 12 anos. Sejam muito bem vindos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Menina de 5 anos com Covid-19 morre nos Estados Unidos

Quarentena: amigos fazem “charreata” surpresa para gestante