Mãe passa 14 dias com sua bebê que nasceu morta: “Até levei ela pra passear de carrinho”: disse a mãe! Entenda essa triste história

- Publicidade -

Ela viveu um luto diferente.. confira o que ela fez..

Esse é o caso que tem dividido opiniões por conta da maneira como chama procurou lidar com a morte da sua filha. Exatamente 14 dias ao lado da bebê no hospital, corpo da bebê que nasceu morta. O mais incrível é que ela chegou até a levar o corpo da criança para passear de carrinho.

- Publicidade -

As filhas gêmeas nasceram com 29 semanas, foi uma gravidez de risco, todo o cuidado foi necessário para que a gestação seguisse até o momento possível de, mesmo prematuras tivessem condições de sobreviver.

- Publicidade -

A mãe só soube que estava em risco no dia em que começou a sangrar muito, ela teve que ir às pressas para o hospital onde ficou internada na enfermaria Royal Lancaster. O diagnóstico foi ruptura na placenta, os médicos decidiram monitorar a mãe, então foi um período difícil para a família.

O parto cesárea foi de emergência, a primeira gêmea, Bella, nasceu, mas precisou ficar na UTI neonatal, 18 minutos depois foi à vez da segunda, mas nasceu sem vida. A equipe médica usou todos os recursos para ressuscitá-la, infelizmente nada mais podia ser feito. Ela morreu dentro da barriga da mãe.

- Publicidade -
- Publicidade -

No momento do parto, por conta da anestesia da cesárea, A mãe tomou recebeu a notícia pelo marido, de um alado a alegria de ter dado a luza e uma filha estava viva, de outro a dor de ter perdido a que se chamaria Jess.

Com um sistema de refrigeração especial, o hospital permitiu que Emma ficasse um pouco com o corpo da filha ao seu lado, ela estava em choque, então temeram por uma situação mais complexa, assim ela pôde dar adeus.

- Publicidade -

Emma falou para o jornal britânico The Sun, que nos 14 dias em que teve a chance de ficar com o corpo da filha, passeou no carrinho de bebê, ficou com ela ao lado do leito.

“Eu sabia que Bella, iria sobreviver, e que eu teria toda minha vida para cuidar dela. Então neste momento eu concentrei todo o meu amor a minha pequena Jess. De repente vi seus lábios escurecer para o azul, então os médicos me falaram de um berço resfriado, um lugar onde bebês natimortos podem ficar”.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -