in ,

Luto! Julen foi encontrado sem vida depois de 13 dias no poço

- Anúncio -

Depois de 13 dias de buscas, chega ao fim a procura por Julen Roséllo de 2 anos que caiu em um poço em Tótalan, Málaga (Espanha).

O menino Julen Roselló de 2 anos, caiu em um poço na Espanha, através de uma abertura estreira no chão, durante uma excursão com a família, no domingo (13), e desde então uma grande equipe de busca trabalhou em seu resgate.

Após 13 dias de busca, que contaram com a ajuda de pelo menos 300 pessoas, o corpo da criança foi encontrado.

- Anúncio -

O resgate foi muito difícil pelo tipo de terreno que impedia que máquinas se aproximassem e chegarem ao ponto com mais de 100 metros de profundidade.

Para chegar até o local onde Julen estava, foi preciso cavar um túnel horizontal, e foram muitos os obstáculos encontrados, e muitas medidas de segurança, pela dificuldade da operação.

José Roselló e Vitória García, moram em El Palo, em Málaga, ao pé da serra onde se encontra o vilarejo de Totalán.

Em 2017, o casal já havia perdido outro filho, o Óliver, que morreu quando tinha apenas três anos. Foi de forma repentina enquanto ele passeava pela praia junto a seus pais, segundo relataram vizinhos de seu bairro. Agora têm a dor de enterrar Julen.

Segundo as autoridades a prioridade era encontrar a criança, agora o trabalho será de investigar as condições desse acidente e se o poço era legal.

A abertura do poço que Julen caiu, tem cerca de 25 centímetros, e o empresário que o perfurou há cerca de um mês atrás, mas ele garante que o buraco estava selado com uma pedra, e afirma que alguém abriu a tampa.

- Anúncio -

Na internet milhares de pessoas que acompanhavam o trabalho de resgate, prestam suas homenagens para a criança.

- Anúncio -

Qual sua opinião? Escreva abaixo👇
- Anúncio -

Written by Ana Paula

Jornalista de profissão, e redatora por vocação. Escrevo com prazer tentando passar em palavras, emoções que possam tocar a vida das pessoas. Nas horas vagas mamãe de gatos e degustadora de cafés, que são meus grandes amores.

Autismo não é o fim do mundo, por Marcos Mion

Médica Marcelle Porto é a primeira vítima identificada em Brumadinho