in

Imprensa mundial repercute ataque a Jair Bolsonaro; Guardian chama eleição de ‘imprevisível’

- Anúncio -

O atentado sofrido pelo candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro do PSL, teve vasta repercussão nesta tarde de quinta-feira (06), no Brasil, mas também virou assunto em importante jornais mundiais.

“Em uma eleição particularmente imprevisível, Bolsonaro tem polarizado opiniões com suas opiniões sobre leis mais permissíveis para o porte de armas, seus ataques à esquerda e seu enaltecimento à ditadura militar”, diz o britânico “The Guardian”.

“O candidato com mais intenção de voto e com mais rejeição entre o eleitorado foi atacado em um ato de campanha no estado de Minas Gerais”, noticiou o Espanhol “El Pais”.

- Anúncio -

“Inúmeros vídeos nas redes sociais mostram Bolsonaro, cuja plataforma inclui acabar com o crime no maior país da América Latina, sendo atacado com uma faca na parte debaixo de seu estômago”, descreveu a agência de notícias Associated Express.

- Anúncio -

 

Declarações sobre mulheres, minorias e pessoas LGBT repeliram alguns brasileiros, mas atraíram muitos outros”, diz a Bloomberg. Segundo o veículo, as ações e moeda brasileiras subiram após a notícia.

A rede britânica BBC também destacou o perfil do candidato: “O político controverso, que tem indignado muitos no Brasil com comentários racistas e homofóbicos, tem tido um desempenho forte nas pesquisas recentes para as eleições do mês que vem.

A notícia virou manchete do site do argentino Clarín. “O acontecimento gerou comoção e o direitista aspirante a dirigir o país conseguiu uma cobertura espetacular que supera a de seu adversário Geraldo Alckmin”, diz o jornal.


Qual sua opinião? Escreva abaixo👇
- Anúncio -

Written by Ana Paula

Jornalista de profissão, e redatora por vocação. Escrevo com prazer tentando passar em palavras, emoções que possam tocar a vida das pessoas. Nas horas vagas mamãe de gatos e degustadora de cafés, que são meus grandes amores.

Criticado por Bolsonaro, livro “Aparelho Sexual e Cia.” será relançado no dia 12 no Brasil

Após esfaquear Bolsonaro, agressor disse que cumpriu “Ordem de Deus”