GRÁVIDA DE 41 SEMANAS SE MATA APÓS TER CESÁREA NECESSÁRIA NEGADA

- Publicidade -

É um caso triste, que revela o desespero de uma mulher de 26 anos, ela tirou a própria vida com 41 semanas de gestação.

- Publicidade -

A grávida de 26 anos chocou o mundo com uma atitude inesperada, ela se matou com o filho na barriga perto de dar a luz. Aconteceu na China, em uma província no dia 31 de agosto de 2018.

- Publicidade -

A jovem gestante foi orientada que para sua segurança e a do bebê, ela teria de fazer o parto cesárea, porém a família discordou, acharam que deveria ser parto normal. O médico ao examinar a mulher, verificou que a cabeça do bebê era muito grande para arriscar fazer um parto normal para não correr riscos de complicações desnecessárias.

Internada em trabalho de parto no hospital Yulin Number One, o médico Huo Junwei, contou que a família ouviu da paciente que ela não queria dar a luz de parto normal, uma vez que a equipe médica havia conversado sobre os possíveis riscos na condição dela. “Ela deixou a enfermaria duas vezes e disse a sua família que a dor era insuportável e que ela queria uma cesariana, mas a família não estava disposta a permitir o procedimento”, contou o médico.

- Publicidade -
- Publicidade -

Em um ato de desespero, a mulher se jogou da janela do hospital, sem dar tempo para que algum funcionário a tivesse impedido de se suicidar.

O marido desmentiu o médico em entrevista ao jornal Beijing Youth Daily.

- Publicidade -

“Nós não discordamos da cesárea”.

O hospital informou a triste situação do seguinte modo; “A família disse que entendia, mas recusava a cirurgia e queria manter a situação em observação”.

- Publicidade -
- Publicidade -

Para finalizar a entrevista, o marido disse; “Conhecendo a personalidade da minha esposa, eu nunca achei que ela teria uma reação tão forte”.

Não se sabe ainda exatamente o estado psicológico em que a gestante estava, mas é importante observar o comportamento de uma mulher grávida, nesse momento a sensibilidade pode ficar alterada, sem contar que é preciso considerar a possibilidade de possível estado de depressão.

- Publicidade -
- Publicidade -