Ex-diretor da UFFS espanca enteado de 11 anos. Supõe-se que motivação teria sido a vitória de Bolsonaro

O crime que ocorreu após a vitória do presidente eleito, Jair Bolsonaro, no dia 30 do último mês, é de estrema gravidade e nada tema ver com o candidato eleito, mas, sim com o modo como cada eleitor decidiu comemorar. E o que aconteceu na cidade de Laranjeiras do Sul, que fica na região do interior do Estado do Paraná, deixou moradores indignados com a atitude de um padrasto, que espancou o enteado de 11 anos.

O suspeito é professor, doutor e ex-diretor da Universidade Federal da Fronteira do Sul. O homem foi preso pela agressão considerada muito grave, inclusive dada à violência que foi cometida contra a criança, após uma denúncia feita anonimamente ao Conselho Tutelar de Laranjeiras do Sul. Imediatamente uma equipe se dirigiu ao local para verificar a denúncia.

Uma pessoa da equipe do Conselho Tutelar fez a seguinte informação; “Ao chegar lá, vendo a situação, a gente teve que acionar a Polícia porque realmente a criança foi espancada”.

O menino foi levado para o hospital Hospital São José, onde passou por exames e fez corpo de delito.

O padrasto foi levado para a Delegacia da Polícia Civil, preso por agressão ao enteado, porém em poucas horas estava em liberdade após ter pago o valor da finança de R$ 2.500,00 (Dois Mil e Quinhentos Reais).

A agressão violenta que o padrasto fez ao enteado foi uma surra com reio de metal, o mesmo usado para bater em cavalos.

A UFF emitiu nota deixando declaro que repudia essas ações e qualquer ato violento e que essa regra vale para todos.

O que parece ter sido o motivo da absurda surra que o padrasto deu no menino, foi a vitória do presidente leito Jair Bolsonaro, pois o entendo estaria comemorando e o ex-diretor não gostou.

A Justiça continuará investigando o caso, cujo processo corre em segredo por ter um menor envolvido, que é a vítima.


ATENÇÃO MÃE, QUAL SUA OPINIÃO?

escreva seu comentário abaixo👇