in , ,

Descobridor do HIV afirma que Covid-19 foi fabricado em laboratório chinês

- Anúncio -

Segundo matéria publicada pela Isto É, Luc Montagnier, cientista francês vencedor do prêmio Nobel de Medicina de 2008 e descobridor do HIV, diz que o coronavírus foi criado de forma artificial dentro de laboratório na China.

“O laboratório de alta segurança na cidade de Wuhan é especializado nesse tipo de vírus, o coronavírus, desde o começo dos anos 2000”, afirmou o cientista. “Eles têm expertise com isso. Isso me fez olhar de perto a sequência de RNA do vírus. Fiz essa análise, assim como o matemático Jean-Claude Perez, especialista em biomatemática”.

Ainda de acordo com a publicação o estudioso explicou que um grupo de cientistas indianos fizeram uma observação completa do gene do vírus e encontraram nele sequências de um outro vírus.

- Anúncio -

“Isso foi uma surpresa para mim, pois era exatamente o HIV”, declarou Montagnier. “A história que [o vírus] veio de um mercado de peixes é uma lenda”.

Ele acredita que os cientistas estariam criando uma vacina contra o HIV, e estariam usando o novo coronavírus para testagem, mas de forma acidental teriam deixado que ele se espalhasse para fora do laboratório.

- Anúncio -

“Os iranianos reconheceram que derrubaram um avião por engano. Os chineses deveriam reconhecer o erro, pelo bem da ciência”, cobrou Montagnier.

Figuras importantes de lideranças nacionais já manifestaram dúvidas à respeito da origem do vírus, como o vice-presidente americano, Mike Pompeo e o presidente francês, Emmanuel Macron.

Recentemente a Fox News publicou um artigo afirmando que fontes seguras teriam apresentado inclusive provas de que o vírus foi criado em laboratório.


Qual sua opinião? Escreva abaixo👇
- Anúncio -

Written by Ana Paula

Jornalista de profissão, e redatora por vocação. Escrevo com prazer tentando passar em palavras, emoções que possam tocar a vida das pessoas. Nas horas vagas mamãe de gatos e degustadora de cafés, que são meus grandes amores.

Nova York supera 10 mil mortes ao incluir óbitos não contabilizados

SP tem redução de 75% nas internações pediátricas por doenças respiratórias