Caso Daniel: Veja fotos internas de como ficou a casa da família Brittes

De acordo com testemunhas, Edison ordenou que todos limpassem a casa, pois havia sangue de Daniel em várias partes 

O portal RIC Mais, publicou imagens da residência da família Brittes, local da festa que culminou na morte do jogador Daniel Correia de Freitas (24), em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, no dia 27 de outubro.

Essa imagens fazem parte do inquérito que foi concluído pela polícia na última quarta-feira (21), e apontam que Daniel foi espancado dentro do quarto do casal, depois na calçada, afogou-se no próprio sangue antes de ser colocado no porta-malas do carro, e depois foi levado para sua execução.

Daniel teve o pênis decepado e o pescoço cortado, e inúmeros ferimentos.

O dono da casa e assassino confesso de Daniel, Edison Brittes está preso, junto com outras seis pessoas, pela morte do jogador.

“Ele é doente. Agir dessa forma com essa frieza, com ausência de remorso. Tanto é que ele mata, volta pra casa, manda limpar a casa e depois pede que façam comida. E ele consegue se alimentar”, comentou o delegado.

Evellyn Brisola, amiga de Allana, que prestou depoimento sobre o caso no dia 13 de novembro, e contou que Edison pediu um Strogonoff depois que voltou da morte de Daniel e se alimentou normalmente.

Para a limpeza da casa ele delegou as funções, Tais ficou com a parte externa e os demais limparam a parte interna e inclusive cortaram parte do colchão que teria muito sangue de Daniel.

Os documentos de Daniel foram queimados. Um celular ainda teria sido destruído por um dos irmãos Porkote, que também estão presos pelo crime.

Evellyn, disse que depois do espancamento, quando Daniel estava caído no chão antes de ser coloca no carro, ela sugeriu que chamassem o SAMU, e que Edison teria sido categórico:

“quem manda aqui sou eu”, disse ele

Veja a responsabilidade apresentada pela polícia de cada um que está preso pelo crime:

Crimes

Edison Brittes – homicídio qualificado e ocultação de cadáver;
Eduardo da Silva – homicídio qualificado e ocultação de cadáver;
Ygor King – homicídio qualificado e ocultação de cadáver;
David Willian da Silva – homicídio qualificado e ocultação de cadáver;
Cristiana Brittes – coação de testemunha e fraude processual;
Allana Brittes – coação de testemunha e fraude processual;
Eduardo Purkote – lesões graves.

Fachada da casa da família Brittes

Sala da Família Brittes

Porta do quarto de Cristiana e Edison Brittes

Área de lazer da casa da família Brittes

Sala Família Brittes

Um drone foi usado para fazer imagens externas da casa, veja na reportagem apresentada pelo Balanço Geral Curitiba

 


ATENÇÃO MÃE, QUAL SUA OPINIÃO?

escreva seu comentário abaixo👇